FAQ

1. O que é necessário para se tornar um residente da Zona Piloto?

Para se tornar um promotor residente na Zona Piloto (ZP) deve obter as respectivas licenças de acordo com o Regulamento de Acesso. Este pode ser consultado aqui.

 

2. Quais os serviços a fornecer por residente: espaço de trabalho, recrutamento finanças, selecção de instalações de produção, suporte de engenharia, instalação dos módulos no mar, conexão dos módulos à rede, etc.?

De momento, e na actual localização, embora existam vários estudos esta ZP ainda não se encontra infraestruturada pelo que os serviços ainda não estão disponíveis.

 

3. Existe um cabo submarino de ligação a terra no local de instalação do módulo?

Dado que a zona ainda não se encontra devidamente infraestruturada o cabo submarino de ligação a terra ainda não foi implementado.

 

4. Quais são os preços para instalação do módulo?

Os preços para instalação do módulo não se encontram ainda definidas pela Tutela.

 

5. Qual a potência mínima do módulo para ligação à ZP?

Uma vez que a premissa da ZP é permitir diversos testes aos módulos não é requerida uma potência mínima ao módulo instalado.

 

6. Qual é o preço da electricidade produzida pelo módulo?

Tal como na questão anterior, e uma vez que a ZP funciona como área de testes, a electricidade produzida é remunerada de acordo com Portaria 202/2015 (link) do membro do governo responsável pela área da Energia. (art. 39º do Decreto-Lei nº5/2008)

 

7. Que empresas e projectos estão actualmente a ser implementados na ZP?

Neste momento apenas se encontra a ENONDAS, SA ligada ao local como concessionária da mesma.

Não estando ainda completa a estruturação desta ZP, não existem projectos implementados.

 

Nota complementar

a. Para quaisquer esclarecimentos contactar a DGEG - Direcção Geral de Energia e Geologia.

b. A actual localização da ZP poderá vir a ser sujeita a uma redefinição conforme Resolução de Conselho de Ministros nº 81-A/2016 (link).