Inquérito da ENONDAS revela grande interesse pela Zona Piloto

24.08.2015
A ENONDAS, em colaboração com o WavEC – Offshore Renweables, efetuou recentemente um inquérito a promotores nacionais e internacionais do sector com o objetivo de avaliar o respetivo “status” tecnológico, bem como o seu conhecimento sobre a Zona Piloto Portuguesa.

“As respostas revelaram um grande dinamismo do sector da energia das ondas e um interesse generalizado pela Zona Piloto tendo em conta as suas características naturais que conjugam um bom recurso energético e condições meteorológicas que minimizam os custos de operação e manutenção”, revela Lima Barros da Enondas, frisando ainda um outro ponto identificado pelos promotores como “fundamental”: a existência de infraestruturas técnicas de apoio aos projetos de energia das ondas.

Do questionário realizado, a Concessionária da Zona Piloto Portuguesa constatou que cerca de 95% das respostas correspondem a empresas que se encontram em estágio avançado de desenvolvimento laboratorial, já em fase de preparação de testes em ambiente real, no mar, num prazo entre 1 e 4 anos. 

Na sequência destes resultados, e tendo em conta a criação de programas nacionais e europeus de apoio (PT2020 e H2020) que privilegiam o sector das energias renováveis, Lima Barros adianta que, “a ENONDAS está a equacionar um conjunto de propostas de atuação, com o objetivo de reforçar o conhecimento global sobre a Zona Piloto e potenciar a implantação de tecnologias de energia das ondas em Portugal”.

A realização deste estudo decorre das obrigações que a ENONDAS assume, na qualidade de concessionária da Zona Piloto, e que é promover o desenvolvimento científico e tecnológico na área da produção de eletricidade a partir da energia das ondas (Clª  12ª, 1e do Contrato de Concessão).